Paulo Pezzolano: o homem que levou o Cruzeiro de volta à Série A


Desde o primeiro ano do Cruzeiro na Série B do Campeonato Brasileiro, sete treinadores passaram pelo clube com a missão de levar o time celeste de volta para a Primeira Divisão. Em 2020, quatro técnicos estiveram na Toca da Raposa. No ano seguinte, três comandantes passaram pelo clube. Mas apenas um será marcado na história por ser o “cara” que levou o Cruzeiro para “o lugar que não devia ter saído”, como dizem os torcedores. Paulo Pezzolano escreveu seu nome nas páginas heróicas e imortais do clube celeste. O desconhecido treinador uruguaio chegou sem muitas pompas ou expectativa da torcida. Pezzolano foi jogador de 2001 a 2016, mas sem grande destaque na carreira como atleta. No mesmo ano em que pendurou as chuteiras, iniciou a trajetória como técnico. Antes de chegar ao Cruzeiro, o uruguaio havia treinado apenas três equipes: Torque e Liverpool, do Uruguai, e Pachuca, do México. Após dois anos amargando campanhas pífias na Série B, a Raposa mudou dentro e fora de campo. Ronaldo comprou o time e o transformou em SAF (Sociedade Anônima do Futebol). Dentro de campo, redução da folha salarial e contratações de acordo com a realidade financeira. Foi nesse cenário que Pezzolano encontrou o clube azul. O treinador chegou com a missão que vários técnicos consagrados no Brasil não conseguiram. No primeiro ano de Série B, o Cruzeiro foi comandado por Adílson Batista (caiu no Estadual), Enderson Moreira, Ney Franco e Felipão, além de dois jogos com o interino Célio Lúcio. Na temporada seguinte, foi a vez de Felipe Conceição, Mozart e Vanderlei Luxemburgo. Nos dois anos, a equipe celeste brigou para não cair e não passou do meio da tabela. Pezzolano mudou a mentalidade dentro do Cruzeiro. O técnico chegou com a ideia de encarar cada jogo como uma final, de cobrar muita dedicação e trabalho de seus atletas, característica forte deste time. De um ilustre desconhecido, Pezzolano se transformou no ídolo da torcida estrelada. O nome do treinador é um dos mais gritados nos jogos no Mineirão. Entre os atletas, o uruguaio também é unanimidade. Sem nenhuma grande estrela na equipe, o treinador consegue revezar o elenco, tirar o melhor de cada jogador e ser elogiado por seus comandados. Neto Moura é só agradecimentos a Pezzolano. “O Pezzolano é um cara que quer sempre nos ajudar, quer sempre nos dar moral. Às vezes, a gente está precisando de alguma coisa, ele está sempre nos ajudando, nos jogos, nos treinos, ele quer sempre ver o nosso crescimento. Então, eu sou um cara muito agradecido a ele, por tudo o que ele fez por nós aqui, vem fazendo. Ele quer sempre que a gente esteja crescendo, quer sempre que a gente atinja o nosso alto nível. Espero que eu possa trabalhar com ele por muitos anos, que é um cara que me ajudou bastante”, ressaltou o jogador. Pezzolano garantiu o retorno do Cruzeiro à Série A, mas agora ele quer mais. Após confirmar o acesso, o treinador vai em busca do título da Segunda Divisão. Líder isolado, com 68 pontos, a Raposa caminha a passos largos para conquistar o troféu. Em entrevista recente o uruguaio definiu o título como “obrigação”. “Desde que chegamos, um jogo-treino era final. Hoje parece tudo fácil, mas não foi, os jogadores fizeram parecer. Então não podemos jogar o que fizemos fora, porque ainda não ganhamos nada. Se conseguirmos o acesso, não ganhamos nada. E se conseguirmos o campeonato, e temos que ganhá-lo, é uma obrigação, teremos que jogar até o final pra ganhar até o último jogo”, explicou. O acesso, Pezzolano já conseguiu. Falta pouco para a taça que o torcedor nunca quis na galeria do Cruzeiro, mas que será muito comemorada, já que deixará para trás a parte mais triste da centenária história celeste.




Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square