top of page

Cruzeiro será julgado pelo STJD por injúria racial de torcedor no jogo contra o Remo

O Cruzeiro será julgado pela Segunda Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva pela injúria racial cometida por um torcedor na partida da Raposa contra o Remo, na 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O clube celeste corre o risco de jogar com portões fechados e pagar multa.

O caso de injúria racial se tornou público após exposição feita nas redes sociais do Remo, que venceu a partida por 3 a 1, no estádio Independência. No vídeo publicado no Instagram não é possível ver o rosto do torcedor que pratica o ato, mas a gravação apresenta um grito: "vai tomar no c*, macaco", durante a comemoração do atacante Jefferson, que anotou o terceiro gol na vitória remista, em Belo Horizonte.

A diretoria do Cruzeiro, junto do departamento jurídico do clube, está analisando a situação. Há expectativa de um posicionamento oficial a respeito do caso no decorrer desta quarta-feira (17).

Segundo nota oficial do STJD, a "Procuradoria recebeu a Notícia de Infração (NI) do Remo denunciando a injúria racial praticada por um torcedor do Cruzeiro contra o seu atleta. Na NI o Remo juntou diversas provas. Além disso, a Procuradoria analisou os fatos narrados na súmula do jogo".

O Cruzeiro foi denunciado e responderá ao artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajanete, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência.


A pena é de suspensão de cinco a dez partidas, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de cento e vinte a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código, além de multa, de R$ 100 a R$ 100 mil.

A Procuradoria pede ainda uma suspensão preventiva do Cruzeiro com base no artigo 35 do CBJD, para que o clube mineiro mande seus jogos com portões fechados e não tenha direito a carga de ingressos nos jogos como visitante. O pedido foi encaminhado e será analisado pelo presidente do STJD do Futebol, Otávio Noronha.

Vitor Leque

O atacante Vitor Leque foi expulso no banco de reservas e xingou a arbitragem. Por isso, responderá por ofender os profissionais do apito, conduta descrita no artigo 243-F do CBJD e que prevê suspensão de quatro a seis jogos, quando praticada contra a arbitragem, além de multa que pode variar entre R$ 100 e R$ 100 mil.


"O árbitro narrou que aplicou o vermelho direto ao atleta do Cruzeiro após ter sido informado pelo quarto árbitro que Vitor saiu do banco de reservas em direção ao quarto árbitro ofendendo a equipe de arbitragem e dizendo: “Vocês são moleques, vieram aqui para nos prejudicar, seus m*”. Ainda segundo a súmula, após a expulsão, o atleta do Cruzeiro precisou ser contido pelos companheiros e voltou a atacar a arbitragem: “seu m*, vai se f*, seu m*”", diz a nota publicada no site do STJD.

Felipe Conceição

O ex-técnico do Cruzeiro e que dirigia o Remo na ocasião também foi denunciado. Ele foi denunciado no artigo 258, inciso II do CBJD por reclamar de forma desrespeitosa contra as decisões da arbitragem e corre o risco de suspensão de uma a seis partidas.




Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page