top of page

Após derrota em casa e resultados ruins, Cruzeiro decide demitir técnico Adilson Batista

A segunda passagem do técnico Adilson Batista pelo Cruzeiro acabou. Na manhã desta quinta-feira, o departamento de futebol do clube se reuniu e decidiu demitir o treinador, que chegou no fim de novembro do ano passado para tentar salvar o time do rebaixamento nas últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro. O anúncio será feito à tarde.

Na noite dessa quarta (11), o time celeste perdeu para o CRB por 2 a 0, no Mineirão, em jogo de ida da terceira fase da Copa Libertadores. Agora, precisa vencer por três gols de diferença para se classificar ou por dois para levar a decisão para os pênaltis. O próprio treinador admitiu que a atuação foi abaixo da esperada.

Ele disse, porém, que “vergonha” é o que fizeram com o clube, e que ele tem tentado ajudar. Além disso, o comandante celeste afirmou que o time ainda não está pronto, pois não conta com o volante Ariel Cabral e os zagueiros Marllon e Ramon. Além disso, o volante Jean e o meia Robinho ainda não estão 100% fisicamente. “Precisa ter paciência. Os erros vão acontecer porque é do processo. Na verdade, não tem nem dois meses [de trabalho], mas eu sei que sou o alvo”, disse, referindo-se ao período em que treinou jogadores que, depois, saíram do clube.

Leia também:

Adilson não aprende que o mundo dá voltas

Antes de perder para o clube alagoano, a Raposa foi derrotada no clássico contra o Atlético com uma boa atuação no segundo tempo. No entanto, os jogos anteriores causam uma interrogação quanto à sequência na temporada.

No torneio nacional, os cruzeirenses se classificaram na primeira fase com um empate em Roraima com o São Raimundo, que disputará a Série D. Na segunda, só venceu nos pênaltis o Boa Esporte, que está na terceira divisão, após empate no tempo normal em Varginha.

No Campeonato Mineiro a equipe está na quinta colocação, com 14 pontos, um atrás do Atlético, último integrante do G4. O Cruzeiro tem quatro vitórias, dois empates e duas derrotas na competição.

“Não tomamos sufoco em nenhum jogo que eu dirigi aqui. Tivemos dificuldade contra o São Raimundo em função do gramado e alguns jogos que perdemos por erros nossos, que a gente trabalha, fala, explica, mostra”, explicou. “Não adianta me dar [um bom desempenho] no dia a dia e chegar no jogo e não render o que a gente espera. Vocês também têm que cobrar [dos jogadores]”, criticou. “Tem coisas que vocês também têm que enxergar, não é só o treinador”, declarou posteriormente.

Adilson chegou ao clube a três rodadas do fim do Campeonato Brasileiro. Foi a última tentativa do clube em se livrar da queda para a segunda divisão, mas o time perdeu os três jogos.

Em 14 jogos, foram quatro vitórias, quatro empates e seis derrotas, um aproveitamento 38%.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page