Ministério Público abre chamada para interessados em auxiliar famílias retiradas por barragem em Ita

O Ministério Público de Minas Gerais e o Ministério Público Federal abriram uma chamada pública para credenciamento de organizações sem fins lucrativos interessados em prestar consultorias as famílias retiradas da área da barragem da ArcelorMittal em Itatiaiuçu, na Região Metropolitana, de Belo Horizonte.

No dia oito de fevereiro, cerca de 200 pessoas foram levadas para um hotel em Itaúna, na Região Centro-Oeste do estado. De acordo com a Polícia Militar da cidade, o pedido de apoio da retirada veio da Defesa Civil, que alertou para o risco de rompimento da barragem da Mina de Serra Azul. As casas estavam a 1,5 quilômetro da barragem.

“Esta é medida faz parte de um acordo firmado entre o Ministério Público e a mineradora. O objetivo é fazer com que os moradores tenham mais participação nas decisões de reparação. Este acordo foi feito sem o trauma do rompimento e pode servir de guia em situações semelhantes”, disse o procurador Lauro Coelho Júnior.

Sessenta e uma pessoas que deixaram as casas em decorrência de alerta com uma barragem de rejeitos em Itatiaiuçu, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram encaminhados para moradias alugadas pela mineradora da ArcelorMittal. De acordo com a empresa, elas representam 15 famílias que estavam em um hotel ou morando com parentes há mais de um mês e foram realocadas em casas temporárias. A mudança teve início durante o carnaval.

Outras 122 pessoas seguem desalojadas, ou seja, deixaram as respectivas casas por causa do alerta com a barragem e estão em um hotel (79 pessoas de 25 famílias) ou em casas de parentes (43 pessoas de 15 famílias).

A empresa assinou um Termo de Acordo Preliminar (TAP) com a participação do Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal. O prazo para realocar todos vai até o início de abril.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square