top of page

Na volta ao Mineirão, Atlético perde para Cerro Porteño na estreia na fase de grupos da Libertadores

Após mais de 500 dias sem jogar no Mineirão como mandante, o retorno do Atlético ao Gigante da Pampulha não foi como a torcida esperava. Diante de um público de 38.736 pessoas, o time alvinegro teve uma atuação abaixo do esperado na estreia na fase de grupos da Copa Libertadores e perdeu por 1 a 0 para o Cerro Porteño-PAR, nesta quarta-feira, pela primeira rodada do Grupo E da competição continental.

Churín marcou para o Cerro aos 32 minutos da etapa final. O atacante da equipe paraguaia estava em posição irregular ao receber o lançamento, mas o auxiliar validou o gol.

O Atlético chegou a balançar as redes aos sete minutos do primeiro tempo, mas o árbitro anulou o gol. Cazares cobrou falta para a área, Luan se jogou na bola e ela entrou no cantinho. No entanto, como o lance era tiro livre indireto, precisaria de dois toques para a conclusão da jogada, o que, na visão do juiz, não aconteceu, pois Luan não teria tocado na bola.

A equipe atleticana voltou a marcar nos acréscimos da partida com Ricardo Oliveira, mas o árbitro invalidou o gol após o auxiliar assinalar que o camisa 9 estava impedido.

Ainda no primeiro tempo, Cazares acertou a trave após chute de longe e desvio no marcador. No rebote, Ricardo Oliveira finalizou, mas chute pegou no defensor do Cerro e saiu.

Mas na maior parte da partida, o Atlético pouco criou e errou muito no setor ofensivo. O técnico Levir Culpi, que iniciou o jogo com três volantes (Adilson, Jair e Elias), sacou todos ao longo do segundo tempo – colocando Nathan, Chará e Vinícius. Nos minutos finais, o time atuou sem nenhum atleta de contenção no meio-campo e com várias peças ofensivas, mas mesmo assim não conseguiu furar a defesa paraguaia.

Com o resultado, o Atlético terá que buscar pontos fora de casa para não se complicar no Grupo E.

O time alvinegro o volta a campo no próximo sábado, às 16h30, contra o Patrocinense, fora de casa, pela nona rodada do Campeonato Mineiro. Para a partida, o técnico Levir Culpi deve acionar uma formação reserva, pois na terça-feira o Galo joga novamente pela Libertadores. Às 21h30 (horário de Brasília), a equipe encara o Nacional-URU, no estádio Parque Central, em Montevidéu, pela segunda rodada do Grupo E.

O jogo

O início da partida no Mineirão foi eletrizante. O Atlético se lançou ao ataque, quase marcou no minuto inicial em jogada de infiltração de Elias, mas recebeu o troco na sequência com Nelson Haedo Valdez desperdiçando chance clara e indicando que o Cerro também poderia dar trabalho.

Mas as ações ofensivas do time paraguaio praticamente ficaram nisso na etapa inicial. E o Atlético demonstrou vontade e um pouco de nervosismo no ataque, tendo prevalecido nas jogadas aéreas, acertado a trave em uma finalização de Cazares e acionado muitas vezes Ricardo Oliveira. Só que não conseguia abrir o placar, até por um gol bem anulado, em cobrança de tiro livre indireto pelo equatoriano, em que a bola entrou no gol sem tocar em nenhum jogador.

Para essa dificuldade, pesava a falta de alternativas pelas pontas no Atlético. Cazares, o melhor jogador do time na partida, buscava distribuir o jogo com a sua criatividade e habilidade. Mas encontrava poucas alternativas pelos lados, o que tornava o time mais lento e facilitava a marcação do Cerro, que, assim, conseguiu levar o 0 a 0 para o intervalo.

Esse cenário de lentidão se acentuou no começo do segundo tempo, pois Elias e Luan continuavam avançando pouco pelas pontas. E levou Levir a sacar, com poucos minutos, o volante de origem, promovendo a entrada de Chará. Mas exceto por jogadas criadas por Cazares, o Atlético criava pouco, sem conseguir pressionar o Cerro Porteño.

Com isso, Levir trocou um volante - Jair - por mais uma peça para o setor ofensivo, o meia Nathan, um jogador que inicialmente nem havia sido inscrito pelo Atlético na Libertadores. Só que quem marcou foi o Cerro. Em boa trama, Oscar Ruiz cruzou para Diego Churín, no meio da área e em posição de impedimento não observado pela arbitragem, desviar a bola com a coxa, marcando aos 32 minutos.

No abafa, o Atlético ficou sem nenhum volante de origem em campo buscou pressionar o Cerro em muitas jogadas aéreas, teve duas chances com Fábio Santos e mais um gol bem anulado, de Ricardo Oliveira. Mas nada que evitasse a derrota por 1 a 0 e as vaias da torcida alvinegro ao fim do jogo.

Atlético 0 x 1 Cerro Porteño

Atlético: Victor; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson (Vinícius), Elias (Chará), Jair (Nathan), Luan e Cazares; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi

Defensor: Juan Pablo Carrizo; Candia, Escobar, Amorebieta e Arzamendia; Aguilar, Villasanti, Ruíz e Federico Carrizo (Espínola); Haedo (Churín) e Larrivey (Novick). Técnico: Fernando Jubero

Motivo: 1ª rodada – Grupo E da Copa Libertadores Data: 6 de março de 2019, quarta-feira, às 19h15 Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Churín (32'/2º)

Cartão Amarelo: Candia (Cerro Porteño); Réver, Adilson (Atlético)

Árbitro: Mauro Vigliano (ARG) Auxiliares: Hernán Maidana (ARG) e Gabriel Chade (ARG)

Público: 38.736 Renda: R$ 1.738.540,00

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page