Conmebol recusa apelação do Boca Juniors para tirar Dedé de jogo decisivo desta quinta

Em ofício encaminhado ao Boca Juniors, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) negou o pedido do clube argentino para manter o cartão vermelho ao zagueiro Dedé, expulso no jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores contra o Cruzeiro (veja o documento ao fim da matéria). A equipe xeneize havia contestado a decisão da entidade que decidiu anular a suspensão do defensor celeste liberando-o para o jogo desta quinta-feira, no Mineirão, que vale vaga nas semifinais da competição.

Desta forma, Dedé está apto para entrar em campo e defender o Cruzeiro. No jogo de ida, na derrota por 2 a 0 em Buenos Aires, Dedé foi expulso equivocadamente aos 29 minutos do segundo tempo. No lance em questão, o zagueiro subiu para tentar uma cabeçada na área rival quando, acidentalmente, acertou a cabeça no rosto do goleiro Andrada.

Inicialmente, o árbitro paraguaio Eber Aquino nada marcou, mas, alertado pelos responsáveis pelo VAR, analisou as imagens no vídeo e mostrou o cartão vermelho de forma direta ao zagueiro, surpreendendo a todos.

A decisão de Aquino foi amplamente criticada pelo Cruzeiro, por outros clubes brasileiros e pela imprensa, inclusive a argentina. No dia seguinte, a direção cruzeirense foi ao Paraguai para realizar uma reclamação formal junto à Conmebol e pedir a anulação da suspensão e teve o pedido aceito.

Para avançar às semifinais, o Cruzeiro precisa vencer o Boca por três gols de diferença. Caso o placar do primeiro jogo se repita a favor da Raposa, o classificado será definido nos pênaltis. Se o time argentino fizer um gol no Mineirão, a equipe celeste precisará marcar quatro vezes, já que na Libertadores existe o critério gol qualificado fora de casa.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square