Itaúna mantém baixo índice de contaminação pela Dengue entre janeiro e abril de 2018

Município notifica cinco casos prováveis em quatro meses, mas LIRAa aponta necessidade de cuidados redobrados com as casas e quintais

Itaúna teve baixo índice de contaminação pela Dengue nos quatro primeiros meses de 2018. A informação consta no último boletim epidemiológico de monitoramento da doença, emitido pelo Estado, em 16 de abril. De janeiro até a data de atualização dos dados, época propícia à proliferação do mosquito transmissor da enfermidade, devido ao calor, aliado à temporada de chuvas, o Município notificou cinco casos prováveis. A incidência no período foi classificada como baixa.

Os números favoráveis confirmam a eficácia das ações executadas pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, para combater o inseto. O reforço das estratégias e a colaboração da comunidade garantiram o resultado positivo. No entanto, o Levantamento do Índice de Infestação Rápido do Aedes aegypti – LIRAa, realizado entre os dias 09 e 13 de abril, chamou a atenção para a necessidade de cuidados redobrados em relação aos materiais guardados nas casas e quintais e que possam servir como criadouros.

A pesquisa envolveu 21 servidores, entre os quais, 16 Agentes de Combate a Endemias – ACEs. As equipes vistoriaram 1.756 imóveis, em todas as regiões da cidade e, de acordo com o relatório, das 70 amostras analisadas, 35 deram positivo para Aedes aegypti; 23 para Aedes albopictus e 12 para outros insetos como os “pernilongos”. Os bairros com maior número de focos são Morada Nova e Morada Nova II, Cidade Nova, Novo Horizonte, Vila Washington, Residencial São Geraldo, São Geraldo, Cerqueira Lima, Belvedere, Tropical, JK, Vila Nazaré, Chácara do Quitão, Santa Edwiges, Graças e Piedade.

O estudo mostrou também que prevalecem como locais de reprodução do Aedes aegypti os depósitos encontrados nos imóveis. A maioria das larvas estava em vasos, frascos, bebedouros de animais, tanques, calhas, lajes, lixo, pneus, garrafas, plástico, sucatas, tambor, tanque, e poços, dentre outros recipientes domésticos. A gerente de Vigilância em Saúde, Maria Izabel Faria Dâmaso, destaca a importância da colaboração da população, no enfrentamento ao “mosquito da Dengue”, que transmite também Zika vírus, Chikungunya e Febre Amarela, na área urbana. “A comunidade segue como a principal parceira no combate ao inseto. Com dez minutos semanais é possível auxiliar na identificação e eliminação das larvas. Permitir a entrada dos agentes comunitários nos imóveis também é essencial nessa luta”, comenta a gestora.

Mais ação

O relatório apresentado após o LIRAa exigiu ações rápidas. E, novas estratégias foram definidas pela Prefeitura de Itaúna com o objetivo de mobilizar a sociedade a fazer a parte dela na luta contra o Aedes aegypti. “Sabemos que mais de 90% dos focos do mosquito estão dentro das casas, em quintais e varandas. A participação de todos é fundamental para o sucesso das abordagens e, consequentemente, para a manutenção dos índices atuais em que nenhum paciente foi diagnosticado com a doença”, reforçou o secretário municipal de Saúde, Fernando Meira de Faria.

Um mutirão para recolhimento de inservíveis, como pneus, e materiais que acumulam água, como latas, garrafas, vasilhas de plástico e recipientes, vai ajudar a população a destinar de maneira correta essespossíveis criadouros. Em parceria com a Secretaria de Infraestrutura e o SAAE, equipes da Saúde vão distribuir sacos plásticos para que a população limpe os quintais. Tudo será recolhido em data já determinada.

A ação será entre os dias 07 e 11 de maio, concentrada nos bairros onde a infestação do mosquito transmissor da dengue foi considerada de “risco médio”: Morada Nova e Morada Nova II, Cidade Nova, Novo Horizonte, Vila Washington, Residencial São Geraldo, São Geraldo, Cerqueira Lima, Belvedere, Tropical, JK, Vila Nazaré, Chácara do Quitão, Santa Edwiges, Graças e Piedade.

Números elevados no passado

A preocupação da Secretaria de Saúde, com as campanhas educativas e reforço das estratégias para a eliminação dos focos do mosquito transmissor da Dengue, visa evitar um novo surto da doença em Itaúna, como no primeiro quadrimestre de 2016, quando o Município recebeu alerta para uma situação de epidemia. Na época, conforme o Sistema de Notificação de Agravos, ferramenta do Ministério da Saúde para monitoramento da enfermidade, entre janeiro e dezembro, houve 3.610 notificações. A grande quantidade de ocorrências também fez vítimas. Até dezembro de 2016, foram registradas na cidade sete mortes em decorrência da Dengue.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 Alternativa FM