Sette Câmara reclama do critério da arbitragem no lance que resultou na expulsão de Otero

O presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, considera que a expulsão do meia Otero foi determinante para a perda do título Mineiro. O venezuelano foi expulso aos 21 minutos do primeiro. Sette Câmara não questionou a expulsão, mas acha que o árbitro deveria ter mostrado o cartão vermelho também para o lateral rival, Edílson, que levantou o pé para acertar Otero. O clássico contra o Cruzeiro foi disputado na tarde deste domingo, no Mineirão, e terminou 2 a 0 para a Raposa.

“Acabamos de perder um título, mas a verdade é que nós tivemos uma perda muito grande na expulsão do Otero. Eram 20 minutos de jogo e, a partir daquele momento, as coisas ficaram muito duras. Não vou reclamar de arbitragem. Apenas estranhei porque dei uma olhada com muito detalhe e o quarto árbitro fez uma sinalização para o juiz, que os dois entraram de forma violenta, e ele entendeu por expulsar nosso melhor jogador. A partir daquele momento ficou muito difícil. Neste primeiro ano gostaria de ter feito uma final com meu time completo, mas isso (expulsão) dificultou bastante”, reconheceu .

Sette Câmara também elogiou o trabalho do interino Thiago Larghi, mas não falou em efetivá-lo. Sobre reforços, o presidente atleticano disse que está de olho no mercado, mas avisou que o time não tem muitas carências.

“Acho que o nosso time não tem uma necessidade tão grande assim. Fizemos um jogo de igual para igual. Não acho que haja uma carência. Os jogadores que entraram estão à altura e desempenharam um bom papel. Estamos fazendo um trabalho de trazer jovens talentos. O Atlético precisa buscar esses jogadores, como foi o caso do Cazares e do Otero. Acredito que nós temos um time que está em evolução, carece daqui e ali de um ou outro jogador, mas não vejo tanta carência assim”, completou.

Sem oba-oba

Sobre o suposto clima de oba-oba citado por alguns jogadores do Cruzeiro, como Rafael Sobis, o técnico Thiago Larghi garantiu que não ocorreu. “Desconheço isso, de verdade. Nosso ambiente estava bem sério, bem concentrado. Os jogadores estavam focados na final. A gente procurou respeitar a equipe do Cruzeiro todo o tempo. Não chegou nada a mim sobre isso. Chamaria a atenção dos atletas”, disse.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo