Hospital Nossa Senhora da Conceição suspende atendimento de urgência e emergência em Pará de Minas

reção do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Pará de Minas, suspendeu nesta segunda-feira (6) os atendimentos de urgência e emergência no Pronto Socorro.

Unidade alega atraso de pagamento por parte da Prefeitura que, por sua vez, diz que o problema é decorrente dos atrasos do Governo do Estado e de uma ação judicial movida pela instituição de saúde contra o Município. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) ainda não se posicionou.

Todas as unidades de resgate de Pará de Minas, como o Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o grupo de voluntários "Anjos do Asfalto" já foram comunicadas da decisão de que o Pronto Socorro está com os atendimentos suspensos.

De acordo com o diretor-técnico do Hospital, Gilberto Denoziro Valadares, há quatro meses os médicos estão sem receber os salários dos plantões. No entanto, ele garantiu que não foi somente este o motivo da paralisação dos atendimentos.

“No dia 24 de outubro fizemos um acordo com a Prefeitura que não era muito bom para o hospital, mas para as coisas não chegarem a este ponto. Fizemos o acordo, mas a Prefeitura enviou o documento assinado totalmente diferente do que foi acordado. Não aceitamos e a única saída foi paralisar os serviços”, informou.

Ainda de acordo com o diretor, o hospital gasta cerca de R$ 500 mil com os plantões e recebe R$ 200 mil da Prefeitura. “Essa conta não fecha. É triste e inaceitável a Prefeitura só se preocupar com cirurgias eletivas e não dar a mínima para a urgência e emergência. Isso é difícil de entender”, ressaltou Valadares.

Diante do impasse, a partir desta segunda, de acordo com o diretor, ficam suspensos os atendimentos de urgência e emergência de cirurgia geral, pediatria, obstetrícia, ortopedia e anestesista.

De acordo com a assessoria do Hospital, a Irmandade encontra-se inadimplente com o pagamento de metade dos plantões do mês de junho de 2017 e a integralidade dos plantões dos meses de julho, agosto, setembro e outubro de 2017, acumulando um déficit aproximado de R$ 2,25 milhões.

Em nota, a Prefeitura informou que recebeu o comunicado da paralisação do serviço com muita preocupação, já que o Hospital Nossa Senhora da Conceição é o único que atende Pará de Minas e todos os municípios da microrregião.

O Secretário Municipal de Saúde, Paulo Duarte, participou de uma reunião, no dia 1º de novembro, com a Comissão de Saúde da Câmara Municipal. Juntos, eles pretendem traçar estratégias para solucionar a situação.

A Prefeitura afirmou, ainda, que o repasse referente ao "Rede Resposta" não é responsabilidade do Governo Municipal, e sim um programa estadual. A verba somente passa pela Secretaria Municipal de Saúde, que é imediatamente direcionada ao Hospital.

Um problema que tem sido comum é um atraso por parte do Governo do Estado que acumula os recursos por dois ou três meses para só então enviá-los. A Prefeitura não retém nenhuma verba deste tipo, o controle que a Administração Municipal tem é somente referente a subvenção de R$ 170 mil mensais.

O valor foi pago até o mês de julho, mas diante da ação na Justiça, que o Hospital questiona os valores de anos anteriores não pagos, foi suspenso repasse dessa subvenção. Se não houvesse discussão judicial a Prefeitura continuaria a enviar esses recursos.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 Alternativa FM