Dupla de gringos gera dúvida sobre a melhor opção contra o Botafogo

Enquanto o técnico Oswaldo de Oliveira festeja as grandes atuações de seus principais atletas de ataque, que estão recuperando a confiança desde a sua chegada, o treinador ganhou uma “dor de cabeça”. Quem será o titular pelo lado direito: Otero ou Cazares? Com perfis diferentes, os gringos brigam por uma vaga entre os 11. Caberá ao comandante escolher o meia com as características que melhor se encaixam na equipe, para permitir ao Galo emplacar uma sequência de vitórias e brigar por uma vaga na Copa Libertadores. Com Robinho “voando” e Valdívia importante na recomposição e nas jogadas pelo lado esquerdo, as dúvidas começaram a surgir com a queda de rendimento do meia Cazares. Com Oswaldo, o atleta foi deslocado para a direita, atuando como uma espécie de ponta. No início da nova função, o jogador parece não ter se adaptado muito bem, exibindo atuações bem discretas em comparação ao que se espera dele. Já o então reserva Otero começou a mostrar um bom futebol antes mesmo de o atual treinador chegar. Nos minutos que ele jogava, abria muitos espaços, melhorava a força ofensiva e levava muito perigo nas cobranças de bola parada. Mesmo sendo baixinho, Otero fez dois gols de cabeça no Brasileirão: um no empate contra o Avaí, fora de casa, e outro na vitória contra o Cruzeiro, no último domingo, no Mineirão. Disputa. No clássico diante da Raposa, o venezuelano acabou ganhando a vaga, e o equatoriano entrou no segundo tempo. Os dois foram muito bem e aumentaram as dúvidas de Oswaldo sobre quem escalar contra o Botafogo. Com Otero, o alvinegro ganha na recomposição, nas jogadas pelo lado e nos lances de bola parada. Com Cazares, o time tem mais capacidade de armação, mais qualidade no toque de bola e mais triangulações ofensivas. Questionado sobre quem escalar, Oswaldo desconversou, ressaltou a importância do banco e a qualidade de Cazares. Mas deixou a entender que o equatoriano precisa explorar mais o seu potencial. “Está na minha cabeça, há um milhão de anos atrás, que, muitas vezes, um banco tem efeito excepcional para um jogador. Às vezes, o jogador está na chamada zona de conforto, momento em que precisa dar um pouco mais”, disse. “O Cazares tem um potencial inestimável. Estou vendo nos treinamentos o que ele é capaz de fazer, coisas que você não encontra todo dia em qualquer jogador. Ele tem habilidade, inteligência futebolística, velocidade, drible na vertical, arremate. Quando ele estiver mais maduro e valorizar mais a qualidade que tem, vai dar um passo muito grande”, completou.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo