Para tentar vaga na Libertadores e ‘salvar’ ano, Galo precisará de aproveitamento de campeão

Após os fracassos seguidos na temporada, o Atlético terá no Campeonato Brasileiro a última chance para minimizar os insucessos pelas eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil, além da perda do título da Primeira Liga para o Londrina. A ‘salvação do ano’ será a conquista de uma vaga no G6 para voltar ao torneio internacional no ano que vem. Mas não será tarefa das mais fáceis.

Isso porque o time alvinegro precisaria de um aproveitamento de campeão brasileiro nas 12 últimas rodadas para sonhar com a sexta vaga no grupo que se classifica para a Libertadores.

Na nona posição, com 34 pontos, o Atlético precisaria chegar a 58, que é a pontuação média obtida pelo sexto colocado desde 2006, quando o Campeonato Brasileiro passou a ser disputado com 20 clubes (confira ao fim da matéria os números). O desempenho representa 66,6% de aproveitamento nas 12 rodadas restantes. Para se ter uma ideia da dificuldade, o Santos, segundo colocado neste ano, tem 60,3%, enquanto o líder Corinthians registra 70,5% de rendimento.

Se repetir o desempenho que teve nas últimas 12 rodadas do primeiro turno, o Atlético chegaria a 51 pontos, o que seria insuficiente tomando por base o histórico da competição citado acima. A menor pontuação do sexto colocado no Brasileirão com 20 clubes foi registrada em 2008, quando o Internacional somou 54 pontos.

Torcida pelo Cruzeiro

Em outro cenário, o Atlético poderia se classificar como sétimo colocado. Mas, para isso acontecer, o arquirrival Cruzeiro teria que se manter entre os seis primeiros para abrir mais uma vaga, já que o clube celeste já está garantido na Libertadores por ser o campeão da Copa do Brasil deste ano.

Mesmo assim, o desempenho para obter a pontuação para ser o sétimo colocado ao fim do Brasileirão não seria muito diferente do sexto lugar. Pelo histórico desde 2006, a média é de 57 pontos para ficar no G7 (aproveitamento de 63,8%, um desempenho de campeão também).

Chance de G8 e até G9

Outra possibilidade aumentaria drasticamente a chance de o Atlético obter uma vaga no torneio continental em 2018. Mas, hoje, a probabilidade é irreal. Além de contar com o Cruzeiro no G6, o clube alvinegro precisaria torcer para o Grêmio ser campeão da Libertadores deste ano – a equipe gaúcha está nas semifinais – e o Flamengo conquistar a Copa Sul-Americana – Rubro-Negro está nas quartas de final.

No entanto, ambos os times teriam que terminar o Brasileirão entre os sete primeiros para abrir o G8 e o G9, respectivamente. Assim, o Atlético viria aumentar bastante a chance de se classificar, já que só precisaria permanecer na atual posição para ir à competição da Conmebol.

Posição do sexto colocado (pontuação mínima: 54 / pontuação média: 58)

2016 – Atlético-PR: 57 pontos 2015 – Sport: 59 pontos 2014 – Fluminense: 61 pontos 2013 – Goiás: 59 pontos 2012 – Corinthians: 57 pontos 2011 – São Paulo: 59 pontos 2010 – Botafogo: 59 pontos 2009 – Avaí: 57 pontos 2008 – Internacional: 54 pontos 2007 – Grêmio: 58 pontos 2006 – Vasco: 59 pontos

Posição do sétimo colocado (pontuação mínima: 53 / pontuação média: 57)

2016 – Corinthians: 55 pontos 2015 – Santos: 58 pontos 2014 – Grêmio: 61 pontos 2013 – Santos: 57 pontos 2012 – Botafogo: 55 pontos 2011 – Figueirense: 58 pontos 2010 – Internacional: 58 pontos 2009 – Atlético: 56 pontos 2008 – Botafogo: 53 pontos 2007 – Palmeiras: 58 pontos 2006 – Figueirense: 57 pontos

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 Alternativa FM