Baixo custo e 100% da renda: presidente da MRV diz que estádio do Atlético será 'o melhor do Bra

Principal investidor no projeto do estádio do Atlético, o diretor-presidente da MRV Engenharia, Rubens Menin, foi o convidado do programa Bastidores desta quinta-feira. Na entrevista, Menin, que também é conselheiro do clube, explicou que está ajudando financeiramente na construção da arena – com a doação do terreno (R$ 50 milhões) e a compra do naming rights (R$ 60 milhões) – porque está fazendo marketing esportivo.

Animado, o diretor-presidente da MRV afirmou que o estádio do Atlético será “o melhor do Brasil e um dos melhores do mundo”, citando o baixo custo da obra (R$ 410 milhões) e o fato de o clube alvinegro ficar com 100% de toda a renda gerada pela arena.

Menin garantiu que a obra não ultrapassará os R$ 410 milhões e, mesmo que supere o valor, o Atlético não arcará com nenhum valor, pois a construção trabalhará com garantia de custo fixo.

Na próxima segunda-feira (18), o Conselho Deliberativo do Atlético votará pela aprovação ou não do prosseguimento do projeto. Passando pelo clube, a arena passará pelo crivo de órgãos municipais, como a Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, o Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) e a Secretaria de Regulação Urbana.

Confira a entrevista (ouça acima a íntegra):

Como será o estádio do Atlético, caso seja aprovado pelo Conselho Deliberativo e pelos órgãos municipais?

“Esse estádio será o melhor do Brasil e um dos melhores do mundo. O projeto é sensacional, é uma arena moderna, de qualidade, confortável e todos terão uma visibilidade excepcional. Hoje, a gente vê as arenas da Copa que não deram certo, foram projetos feitos a toque de caixa, sem muita qualidade, diferente deste projeto, que está sendo feito com muito carinho. Se conseguirmos levar esse projeto adiante, vamos dar muita alegria ao atleticano.”

Custo estimado do estádio

“As pessoas, às vezes, não acreditam no valor porque têm visto que os estádios da Copa custaram R$ 1 bilhão, R$ 1,5 bilhão. Não é nada disso. Esse estádio ficará em R$ 410 milhões, nem um tostão a mais. Aquelas pessoas que têm medo de ultrapassar esse valor e atrapalhar as finanças do Atlético podem ficar tranquilas porque está muito bem estudado a respeito disso.”

Dá para construir o melhor estádio do Brasil com R$ 410 milhões?

“Dá. Eu insisto nisso, tem que conhecer de engenharia. O que o Atlético e nós estamos fazendo é estudando isso há quatro anos, não é um estádio que se resolve fazer de uma hora para outra, contrata qualquer um e faz, aí não dá certo. É um projeto que tem início, meio e fim, dá para fazer. Vai ser o estádio mais barato do Brasil por assento e vai ser o melhor.”

O que vai ter de novidade no estádio?

“Primeiro, o método construtivo. Vai ser o estádio de construção mais inteligente e por isso mesmo ficará mais barato. Segundo, para o torcedor. Vai ser um conforto maravilhoso, a visão será completa de todos os ângulos, a praça do lado de fora, os lugares de diversão, ou seja, arena no conceito de arena igual tem na Alemanha, na Inglaterra. Será uma arena supermoderna, não tem nenhuma igual no Brasil. Estádio hoje não é só futebol. Poderá ser feito um show do U2 montando e desmontando (o palco) em 24 horas. No Mineirão é uma semana. O projeto pensa nos detalhes.”

Como o estádio fechará a conta todo mês?

“Quando o nosso time começou a trabalhar, tínhamos duas premissas: a viabilidade financeira e a técnica, que falei na pergunta anterior. O Flamengo jogou no Maracanã outro dia, deu R$ 3 milhões de renda, sobraram 35% para ele. No Mineirão, não sobram mais do que 30%, 35% para os times. O Palmeiras consegue 80% da renda. A nossa expectativa é que na Arena MRV sobre 100% da renda para o Atlético e isso é possível, pois o campo será pago com outras atividades, como shows e eventos. Todos os estudos indicam que o Atlético terá uma renda líquida de 100%.”

Por que a MRV entrou no projeto do estádio?

“A MRV é a maior patrocinadora de esportes do Brasil. Estamos há 21 anos no marketing esportivo. Já patrocinamos vôlei, basquete, tênis, futebol, Fórmula 1. Mas o futebol é a paixão do brasileiro, não tem outro esporte igual. Estamos há 15 anos no Atlético, estamos no Flamengo. O marketing esportivo dá muito retorno para a empresa. Mas uma empresa não tem que pensar só em lucro, tem que pensar na comunidade. A MRV investe em creche, em atividades sociais e no futebol também.”

MRV comprará o naming rights e a doação do terreno é da pessoa física Rubens Menin

“Sou eu quem está doando (o terreno), faço isso com muito prazer. Da mesma forma que a gente faz uma doação para instituição de caridade, faz parte da vida da gente. Sou atleticano, vou ao campo desde que tenho 6 anos de idade, meu pai e meu avô eram atleticanos, meus filhos e netos são atleticanos. Então, é uma coisa bacana.”

Shows e eventos

“O projeto desse estádio é tão inteligente, que ele terá uma arena para 40 mil pessoas para shows, uma para 20 mil e outra para 10 mil. Por exemplo, o Palmeiras faz 40 eventos por ano. A gente pode, por exemplo, fazer seis grandes eventos, 10 de médio porte e 20 de pequeno porte. É uma indústria que está crescendo, o lazer está crescendo.”

Contrato de naming rights não será vitalício

“O contrato não será definitivo. Será por dez anos com extensão por mais cinco anos. É um contrato por um prazo razoável para dar tranquilidade ao Atlético e à empresa.”

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 Alternativa FM