De volta, Luan promete manter estilo no Galo e se dispõe a ficar no banco na quarta

“Não estava com saudade nenhuma da imprensa. Estou de boa. Prazer estar aqui novamente”. Sempre irreverente, Luan abriu assim seu retorno à sala de entrevistas daCidade do Galo. Recuperado de lesão muscular na coxa direita, o meia-atacante conversou com os jornalistas, mostrou carisma e afirmou: quer estar pelo menos no banco de reservas esta quarta-feira, às 19h30, contra o Atlético-PR, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. “Não conversei ainda com o Roger. Estou apenas trabalhando. Vou deixar nas mãos da comissão (técnica). Estou bem tranquilo. No que puder ajudar, vou ajudar. Vamos decidir o que vai ser melhor para mim. Quero estar no banco, nem que não entre, apenas para motivar os atletas. Se entrar, também vou ajudar da mesma forma, como sempre fiz no Atlético”, disse. Em campo, Luan não costuma tirar o pé em nenhuma jogada. Sempre busca atacar e marcar com intensidade. Isso prejudica o jogador, que vem convivendo com lesões, principalmente no joelho direito, operado no ano passado. No entanto, ele promete manter o estilo 'Galo Doido' em campo e avisa: “Se tiver sequência, o bicho vai pegar”.

“A gente está disposto a tudo. Não tem bola perdida nem em treino. Os caras não gostam, mas, se eu não treinar assim, não jogo assim. Faço no treino e faço no jogo. Tento incentivar os meninos, xingo mesmo, para motivar a galera. Não sei o que fazer para não ter lesão. A gente está disposto a tudo na profissão. Vou tentar ao máximo me segurar nos treinos, mas é meu jeito. Espero voltar e ter uma sequência, como foi em 2013, em 2014. Aí o bicho vai pegar. Com certeza vou dar o meu melhor”, completou. Chega de televisão, pipoca, açaí, chocolate... O meia-atacante comentou o tempo que ficou em casa, assistindo aos jogos do Galo apenas pela TV. "Quando estou em casa vendo jogo eu fico muito nervoso. Como pipoca, açaí, sorvete, chocolate, tudo porque fico nervoso. O nutricionista agora está sabendo. Tenho ainda dois anos de contrato e quero dar meu melhor pelo clube. Sei o que é a história do clube, o que pesa essa camisa, e talvez por isso eu me machuco tanto. Vou dar o meu melhor, quero ver o Galo ser campeão, mesmo que eu me machuque novamente”. Por fim, Luan se declarou. Ele afirmou que, como se sente em casa no Alvinegro, vai sempre dar o seu melhor dentro de campo para que a equipe conquiste sempre o resultado positivo. Ele se mostrou feliz por saber que o torcedor está ansioso por seu retorno ao time. “Tenho um carinho muito grande por esse clube. Tem muitas especulações de clubes que me querem, mas o Galo é minha casa. Me identifiquei com o clube. Não posso virar as costas para um clube que me deu tudo, independência financeira, títulos. Eu quero dar sempre o meu melhor. O torcedor tem essa idolatria, porque eu vou em bolas impossíveis, dou tudo de mim. Infelizmente, ou felizmente, eu sou assim. Vou dar tudo sempre dentro de campo. Não que os outros não tenham raça, mas fico feliz porque o torcedor sente minha falta. Vou voltar, dar dois carrinhos. Esse é o meu estilo, o meu jeito”, concluiu.

Posts Em Destaque
Posts Recentes