Palmeiras perde para o Internacional, mas vai às quartas de final da Copa do Brasil

As três derrotas consecutivas do Palmeiras na temporada servem como alerta mesmo com a equipe classificada para as quartas de final da Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, o time levou de 2 a 1 do Inter, no Beira-Rio, e só avançou graças à bola parada. O velho estilo "Cucabol" salvou a equipe de ser punida pela atuação ruim e escolhas equivocadas na escalação. A vaga veio pelo desempate nos gols como visitante.

A equipe teve em Porto Alegre um meio-campo sem armadores, um zagueiro improvisado no ataque, volantes na defesa e uma noite de futebol desastroso. Já o Inter jogou melhor, mesmo com treinador interino e sob ameaça de exclusão do Brasileiro da Série B como punição por uma suposta falsificação de e-mail.

A vantagem alviverde de 1 a 0 construída no Allianz Parque era magra, é verdade, e faltou uma grande dose de organização para fazê-la durar mais do que só oito minutos. Antes de D'Alessandro aparecer livre na frente de Fernando Prass e abrir o placar, o Inter já havia descoberto o caminho pelo lado direito do ataque. Uma série de sustos pelo setor antecederam o gol e continuaram a se repetir enquanto o time cambaleava em campo.

O Palmeiras conseguiu acordar na bola, mas não no placar. As duas primeiras investidas do time esbarraram em lances polêmicos da arbitragem, com um gol anulado de Róger Guedes e a uma bola na mão de Léo Ortiz após chute de Willian.

A equipe alviverde havia superado o susto inicial e começado a avançar ao ataque quando perdeu Dudu. O atacante sentiu uma lesão e deixou o campo ainda no primeiro tempo, para a entrada de Keno.

A alteração forçada testou ainda mais um Palmeiras já bem modificado. O técnico Cuca escalou o time no 4-3-3, sem armadores de origem, somente com volantes no setor de meio-campo. Porém, diante de uma vantagem aniquilada aos oito minutos e com o primeiro tempo concluído com a derrota em 1 a 0, o segundo tempo trazia como dúvida qual seria a estratégia em campo para evitar a decisão nos pênaltis.

A equipe mudou ao recuar Felipe Melo para defesa e a situação do jogo piorou. O atalho pela direita novamente foi o caminho para o gol do Inter, com Nico López, aos dez minutos do segundo tempo. O resultado passava a eliminar o Palmeiras.

Cuca resolveu logo depois acionar Borja, na última substituição possível. A criação parou de ser um grande problema porque o Inter recuou cedo para garantir o resultado e permitiu o Palmeiras avançar. Uma finalização de Willian acertou a trave e deu a senha para o treinador voltar a apostar em Mina como atacante.

Por sorte do Palmeiras, a improvisação durou pouco. Quase como um presente, uma bola parada, ou seja, um "Cucabol" rendeu o gol de Thiago Santos, aos 34 minutos do segundo tempo. Depois, foi apenas se segurar na defesa. Era a derrota indolor tão sonhada pelo time.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 Alternativa FM