Depois de perder o Mineiro, a eliminação na Sul-Americana

O Cruzeiro perdeu o Campeonato Mineiro domingo para o Atlético e ontem foi eliminado da Copa Sul-Americana, no Defensores Del Chaco, pelo Nacional do Paraguai por 3 a 2 na decisão por penalidades. No tempo normal, o time celeste perdeu por 2 a 1, mostrando muitos erros e uma defesa ruim. Eu não entendo os motivos de Dedé ser reserva de Leo. Só pode ser pela condição física, pois tecnicamente Dedé é infinitamente superior. O time caiu de forma assustadora. Aquele futebol mostrado contra o São Paulo na Copa do Brasil desapareceu como num toque de mágica. Agora, restam a Copa do Brasil e o Brasileirão para o time de Mano Menezes não passar a temporada em branco. Num estádio completamente vazio, o Cruzeiro até que começou bem. Fez 1 a 0 com Thiago Neves e parecia ter o domínio do jogo. Ledo engano. O Nacional empatou logo em seguida, com Villagra. O empate classificava o time celeste, mas ainda havia muito tempo. O resultado na fase inicial foi justo. No segundo tempo, o Cruzeiro continuou sem praticar um bom futebol. Ainda abalado pela perda do título mineiro, tentava se afirmar. É bem verdade que a Sul-Americana é uma competição sem nenhum apelo, mas classificar-se daria moral ao time da Toca da Raposa. Porém, numa falha da zaga azul, Bareiro subiu mais que Caicedo e botou lá dentro: 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida, no Mineirão. A decisão da vaga estava sendo levada para as penalidades, e foi o que ocorreu. Salgueiro foi o primeiro a bater e isolou. Alisson bateu em seguida e jogou nas mãos do goleiro Rojas. O próprio goleiro do Nacional bateu a segunda cobrança e converteu. Henrique empatou. Miranda fez 2 a 1 Nacional. Hudson fez 2 a 2. Rodríguez também isolou na arquibancada. Fabrício bateu na trave. Dávalos fez 3 a 2. De Arrascaeta bateu, perdeu e o Cruzeiro acabou eliminado. É hora de Mano reunir os “manos” e entender o que ocorreu. O futebol vistoso e empolgante do começo da temporada sumiu justamente nos jogos decisivos. É preciso que o Cruzeiro se reinvente, para não decepcionar sua torcida em mais uma temporada. O futebol dos primeiros meses precisa voltar.

Tragédia A Chapecoense voltou ao palco da tragédia, na Colômbia, onde jogou contra o Atlético Nacional na noite de ontem, pela Recopa Sul-Americana. Um acidente aéreo que poderia ter sido evitado, se o piloto boliviano não tivesse sido ganancioso, evitando abastecer para economizar, assassinando 71 pessoas. Uma tragédia de proporções gigantescas e irresponsável. Vários profissionais da imprensa, jogadores e comissão técnica foram dizimados, quando o avião, sem combustível, chocou-se com uma montanha. Brasileiro Um grande clássico no sábado, de muita tradição e rivalidade, no Maracanã. Flamengo e Atlético jogam na abertura do Campeonato Brasileiro. Claro que os tempos são outros e os gênios da bola Zico, Reinaldo, Adílio, Cerezo, Júnior, Éder, Palhinha e Andrade não estão mais em campo. Porém, será sempre um jogo de muita tradição e disputa. Vale lembrar que no Brasileirão por pontos corridos cada jogo é uma decisão, e os pontos perdidos no começo são irrecuperáveis. O Atlético precisa ganhar esta taça novamente, já que sua única conquista foi em 1971, quando a competição foi instituída. São 46 anos de fila, o que é muito para um clube da grandeza do alvinegro.

Tags: cruzeiroec

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo